..............................................................

sábado, 14 de maio de 2011

I'm in Miami beach

Céu azul, badalação, compras e mais compras! Belas praias, arquitetura de South Beach, os iates, restaurantes, os drinks incríveis, as tendências, ritmos latinos, muita gente bonita de corpos sarados, avenidas com palmeiras, o mar turquesa... aaaaaaaaaaai, Miami para quem te quer bem!!!

Para quem vai para Miami pela primeira vez, o mais importante é que apesar de ser uma cidade localizada na Flórida, Estados Unidos, ela não é nada Americana. Nada daquelas pessoas gordas, branquelas, aquelas roupas cafonas, casinhas de madeira estilo montanha, carrinhos populares, ESQUECE.


Você vai reparar de primeira que a língua mais falada é o espanhol. Desde funcionários da imigração no aeroporto até vendedores e garçons, eles insistem em desprezar a língua oficial do país e por mais que você fale em Inglês, a maioria responde em espanhol, o que às vezes é até melhor de entender, levando em conta o nível de Inglês que os latinos aprendem por lá. Isso por que a cidade tem mais de 2 milhões de habitantes em sua área metropolitana, e muitos desses habitantes são imigrantes cubanos. A cidade faz bem aos olhos. É linda! Por onde você for o mar fará parte do seu cenário.


O clima é tropical, sendo quente praticamente o ano inteiro. No máximo você vai precisar de uma malha para colocar em cima da roupa durante o inverno, mas será raro. Para quem quer curtir uma praia, o melhor é ir para South Beach, onde pode-se ver pessoas bonitas nas areias e calçada da Ocean Drive. Dica, fuja da praia de nº 3, pois é a praia que tem mais brasileiros. Poxa, vai passear em Miami e vai fazer amizade logo com o povo de Taubaté, Jacarepaguá, Pindamonhangaba, entre outros brasileiros? rsrs.


Miami é uma das principais portas de entrada dos Estados Unidos. Conhecida como a "Cidade Mágica" - revela muitas surpresas a seus visitantes. Suas inúmeras atrações turísticas - aliadas a um convidativo centro comercial e de compras - atraem pessoas do mundo inteiro, que buscam o calor do maravilhoso sol da Flórida e do caldeirão de culturas que se espalha pela cidade. Dividida em quatro grandes distritos. Miami proporciona a quem a visita momentos muito agradáveis de lazer e descontração.

A "Riviera Americana", até o início do século, não passava de um banco de areia. Após a construção da ponte que a ligou ao continente - em 1913 - atraiu a atenção de milionários dos Estados Unidos, até se transformar em um dos balneários mais procurados do país.

O bairro Art Decó é um dos lugares mais interessantes de Miami Beach. Situado em sua porção sul (South Beach), possui mais de 800 edifícios construídos no estilo arquitetônico Art Decó, originário de Paris que consquitou o mundo nas décadas de 20 e 30. Os edifícios mais famosos estão situados na Ocean Drive, na Collins Ave. E na Washington Ave.


Ir a Miami Beach e não conhecer Ocean Drive é como ir à Copacabana e não caminhar na Av. Atlântica. Suas lindas praias, bares e cafés a beira-mar são excelentes locais para diversão e ótimos para sentir todo o clima tranquilo e descontraído do lugar.


Miami e Miami Beach são separadas por pontes e no caminho de uma delas, a Florida A1A existem três ilhas com casas residenciais que são cinematográficas (Star Island, Pam Island e Hibiscus Island). Cada uma tem sua lancha ou Iate parado na frente. Você pode fazer parte de luxo em Miami e dar uma volta nessas pequenas ilhas contanto que não desça do carro, ou seja, amigo de alguém que more lá (Gloria Stefan, Shaquill O’Neal, Rosie O’Donnell, Julio Iglesias, etc). Todas possuem guaritas com segurança 24 horas. Há luxo por toda parte.


A cidade respira dinheiro novo, especialmente na região da Brickel Avenue, centro financeiro da cidade. É também endereço dos jovens mais bem sucedidos da cidade. Os prédios comerciais e residenciais são modernos , imponentes, luxuosos e extremamente altos, pois como tem muita água debaixo da terra devido ao mar a sua volta, é difícil de cavar andares subterrâneos, então as garagens dos prédios ficam nos seus primeiros andares contando do térreo para cima.


Em Miami Beach, o dia mal escurece e a arquitetura de tons pastéis do Art Deco District ganha o brilho exagerado dos neons dos hotéis à beira mar e casas noturnas, a Ocean Drive e suas paralelas se enchem de carrões sob o comando de cinquentões acompanhados de moças com corpos esculpidos em academia, e os visitantes mais consumistas se esforçam para carregar sacolas com nomes de grifes estampados em letras nada discretas.


Se quiser curtir uma balada em Miami para dançar de verdade, o melhor point é a Mynt. Uma balada glamorosa e com pessoas produzidas, mulheres e homens bonitos, dançarinas lindas com poucas roupas em cima do bar e da mesa, tipo aquele filme Show Bar, muita Grey Goose e Veuve Clicquot. O Dj sabe animar o público e mistura músicas eletrônicas com músicas mais pops. E todo mundo dança, canta e alguns mais animados sobem nos sofás.

Para entrar na Mynt é melhor ter pelo menos 1 mulher (de preferência bonita ou bem produzida) no grupo para cada 2 homens e chegar até no máximo meia noite. Mulheres não pagam para entrar e homens pagam U$30,00. Se quiser garantir uma mesa com tratamento VIP, precisa comprar pelo menos 1 garrafa de alguma bebida para o grupo. A garrafa de Gray Goose custa em torno de U$500,00, já com sucos, soda, Água Tônica, Balde de Gelo e garçonete para tratamento especial. O preço é salgado, mas vale à pena.


Se tratando de consumo, vamos falar do luxo ao outlet. Compras são um programa inevitável na viagem a Miami. As opções são tão diversas que se adéquam até a quem não passou incólume à crise financeira que abala mercados mundo afora. Se você foi pouco ou muito afetado pela crise, pode escolher entre o Bal Harbour ou a meca dos outlets, o Sawgrass Mills, que fica fora da cidade, mas cujos preços compensam a distância.


Um dos mais bem-sucedidos empreendimentos comerciais nos Estados Unidos é o The Shops, em Bal Harbour. O proprietário, Stanley Whitman, tinha lojas em South Beach, mas as fechou após a Segunda Guerra. Imaginou que as pessoas que tivessem dinheiro acabariam indo para o norte da cidade. Ele comprou um pedaço de terra, pagou caro por isso (três vezes o preço do que seria em outros lugares). Mas teve a uma visão que teria o mais bem-sucedido shopping, com as marcas mais caras e luxuosas em todo o mundo, inaugurado há 40 anos.


No seu empreendimento, resolveu fazer exatamente o contrário do padrão vigente na época. Em 1965, os primeiros lojistas queriam neons e grandes letreiros nas vitrines. Mas o shopping idealizado por Stanley Whitman não teria neons, apenas butiques e belos jardins, com lojas ao ar livre, renegando corredores fechados com ar condicionado e o estacionamento seria pago. Na calorenta Flórida é difícil, mas no Bal Harbour Shops, a arquitetura garante a circulação do ar e um ambiente fresquinho com ventiladores, plantas para dar sombra, água para dar frescor. Um laguinho com carpas e obras de arte nos corredores também são alguns dos ícones do local. O projeto arquitetônico sobreviveu às décadas, embora as lojas atualizem suas fachadas de tempos em tempos.


Pense numa marca top de linha. Até mesmo uma Hermés, que tem apenas cinco lojas próprias em todo o mundo (sem considerar pontos de vendas em outras lojas): uma delas está em Bal Harbour. Por isso, este é um dos shoppings que mais vendem nos EUA, considerando o indicador faturamento por área: em geral, lojas fazem de US$ 300 a US$ 400 por pé quadrado (square foot) ao ano. As grandes lojas de departamento chegam a US$ 500 a US$ 700. Bal Harbor Shops alcançam US$ 2.000 ao ano.


Não vamos esquecer as casas super luxuosas, com suas ruas limpíssimas e um trânsito super intenso, mas que flui muito bem, tudo isso no calor de 40°, uma coisa que se deve fazer nessas horas é aproveitar uma piscina, esperar o sol abaixar um pouco e depois sair para desbravar a cidade. Porque o calor de lá é diferente do calor do Brasil. Lá é mais úmido e conseqüentemente mais sufocante.


Miami é uma cidade super grande e espaçada. Por isso recomendo que assim que descer no aeroporo já procure uma locadora de carros que fique dentro mesmo do aeorporto. Assim que escolher o modelo do carro não se esqueça de pedir o GPS. Essa sem dúvida nenhuma é a melhor coisa que estará fazendo para sua boa estadia. A tranquilidade de poder ir para qualquer lugar é a melhor pedida. Um taxi sairia um absurdo porque a cidade é cortada por avenidas gigantescas e ir de um bairro para o outro não dá para ser feito a pé.


Agora não vem querendo ir para Miami atrás de astros de Hollywood não, por que quando Robert de Niro, Oprah Winfrey, Sofia Loren, Gwyneth Paltrow e minha amiga Madonna, cm suas respectivas famílias, vem para Miami em busca de sossego, tranqüilidade e principalmente anonimato, eles certamente procuram evitar o máximo de passear pelo calçadão da Lincoln Road ou se hospedar nos hotéis da Ocean Drive ou da Collins Avenue. O lugar que eles preferem chama-se FISHER ISLAND.


Fisher Island é uma ilha privada que possui um condomínio de mansões, apartamentos e um hotel que fica, simplesmente, ao lado de Miami Beach. Vindo pela Marcathur Causeway, que também é a quinta rua, é só virar à direita e aí, uma balsa o levará diretamente para a ilha, ou fazer igual os moradores, ir de iate particular. O único detalhe é que para poder entrar nessa ilha de sonho é necessário hospedar-se no belíssimo hotel ou possuir uma mansão ou apartamento. Fisher Island é sinônimo de luxo, glamour, requinte e privacidade. O importante em Fisher Island é realmente a privacidade. Mostrar poder de dinheiro ali é inútil, pois a ilha é considerada a comunidade habitacional onde a renda per capita é a maior que existe no país.

Praia, sofisticação e glamour. Miami é cidade pitoresca e South Beach o seu ponto mais exclusivo, diferente das várias cidades norte americanas pelo seu forte sabor latino e, por isso, residência de várias celebridades. Conhecida como a porta de entrada dos Estados Unidos da América, esta é uma cidade cuja economia é quase exclusivamente voltada para o turismo, com cerca de 10 milhões de turistas todos os anos, sendo o terceiro destino mais visitado do país. Esse luxo em Miami é o paraíso dos novos ricos. Eles não se inibem nem um pouco ao mostrarem seus carros luxuosos e jóias, é uma cidade encantadora e chic, dessas que quando você visita e entende o que há de melhor para aproveitar não dá vontade de ir embora. Welcome to Miami Beach!



Nenhum comentário:

Postar um comentário